sexta-feira, 29 de março de 2013

SÉRIE RIA SE PUDER - SARGENTO BARBUDINHO

                           SARGENTO BARBUDINHO


 
O Sargento Ricardo está no motel com a amante, curtindo o pós-coito, quando ela resolve interromper o silêncio:
— Ricardo, por que você não corta essa barba?
— Ah... se dependesse só de mim... Você sabe que minha mulher seria capaz de me matar se eu aparecesse sem barba... ela me ama assim, e tem mais toda turma do quartel me conhece assim, inclusive alguns superiores relutaram em autorizar eu deixar minha barba assim, não pode no E.B. Após muito sacrificio e negociações consegui, até me apelidaram de sargento barbudinho!
— Ora, querido — insiste a amante — Faça isso por mim, por favor...
— Não sei não, querida.... sabe, minha mulher me ama muito, não tenho coragem de decepcioná-la, sem dizer a zoação que vai ser no BGP...
— Mas você sabe que eu também te amo muito... pense no caso, por favor...
O sargento continua dizendo que não dá, até que não resiste às súplicas da amante e resolve atender ao pedido.
Depois do almoço  ele passa na barbearia do BGP que é do lado do cassino dos sargentos, em seguida vai a um jantar de confraternização no recanto dos granadeiros nos fundos do quartel, e quando chega em casa a esposa já está dormindo.
Assim que ele se deita, sente a mão da esposa afagando o seu rosto lisinho e com a sua voz sonolenta diz:
— Cabo Paulão! Que merda, você ainda está aqui? Vai embora, o sargento barbudinho já está pra chegar!
 
 
 
 
 
 
SÉRIE RIA SE PUDER - SARGENTO BARBUDINHO - 2020 -
PERUSCELLO - OBRIGADO ATÉ A PRÓXIMA.
>